Postagem em destaque

segunda-feira, 6 de julho de 2020

LUTO

MORREU DE ILUSÃO



De repente me dei conta de que estava morrendo.
Percebi que estava deixando de ser humano para me tornar um protótipo de "santo" falsificado.
Fui sendo amordaçado e asfixiado lentamente sem me dar conta de que contribuía para isso.
Comecei me incomodando por não participar de congressos, eu achava que era preciso falar para grandes públicos, quanta ilusão!
Não me dava conta que era meu ego que exigia vitrine e palco.
Comecei a prestar atenção no que os outros faziam e falavam para fazer igual, queria um lugar ao sol, ou um lugar no palco da minha vaidade.
Tentei imitar alguns, mas sou péssimo imitador.
As falas distantes do coração e da vida prática me incomodavam, embora muitos companheiros realizem inestimável trabalho nesses eventos, mas a coisa era comigo.
Me encontrava na UTI da ilusão, pois acreditava que o trabalho com os jovens e crianças devia ser a prioridade para a mudança do mundo. 
Estava me matando pouco a pouco.
E mesmo quando realizava uma grande participação nos eventos logo era posto de lado, porque eu não dizia o que as pessoas queriam ouvir, o mesmo do mesmo.
E mantive a minha consciência em estado de coma por muito tempo, deixando que o ego assumisse o controle, e eu me sentisse ofendido.
Percebia que nos grandes eventos de jovens no meio espírita eu era preterido, embora ouvisse muitas vezes: Ninguém fala melhor do que ele para os jovens...
Havia uma velada discriminação, me disseram que alguns "dirigentes" afirmavam que eu era perigoso para os jovens, pois os incitava a ser jovens.
Vai que em algum evento desses oficiais eu abrisse a boca, para dizer que os pais devem amar seus filhos como eles são e deixar de lado a ideia de tratá-los como massinha de modelar? Que devemos ir ao mundo dos jovens e não querer impor o nosso mundo a eles, ou de repente dizer: os homoafetivos vivem uma experiencia evolutiva e devem ser amados e respeitados.
Um dia me aconselharam a não tocar em assuntos sobre homoafetividade numa palestra, porque os dirigentes eram conservadores.
Tive compaixão de quem me deu esse conselho, porque dirigentes espíritas que não aceitam ouvir abordagens sobre a vida verdadeira não tem condições de atender a alma humana.
Algumas vezes o meu ego me pediu para desistir, para aceitar o convite do mundo laico e escrever para outro público.
E o estado de coma egoico prosseguiu por muito tempo, e confesso que só agora estou saindo da internação psíquica que me impus, da quase morte.
A cura veio, e foram as crianças e jovens que me tiraram desse estado patológico e mental adoecido em que me encontrava.
Foram os jovens que me resgataram, pelo respeito que eles têm pelo meu trabalho.
São os pais que me procuram e me pedem para não desistir.
Eu já estava agonizando e quase jogando a toalha, mas os jovens colocaram um respirador na minha alma e consegui sobreviver.
Decidi então enterrar as ideias que tinha sobre movimento espírita e congressos.
Nunca vou falar como os outros, porque não penso como os outros.
Não existe encontro mais importante do que aquele que se dá de alma para alma.
Estou em recuperação e praticamente curado.
Hoje sepulto meu ego, e escrevo em seu epitáfio:
"Morreu de ilusão, acreditando que existem homens que podem falar por Deus"

Adeilson Salles





27 comentários:

  1. Seu trabalho é lindo, sempre te admirei e agora muito mais!!!

    ResponderExcluir
  2. Adoro o seu trabalho, continue sendo quem é, também eu estou nesse processo.

    ResponderExcluir
  3. 👏👏❤ Muito bom e verdadeiro.

    ResponderExcluir
  4. Perfeito! Muito bom mesmo. Continue fazendo a diferença na vida dos jovens e confortando vários corações!

    ResponderExcluir
  5. Feliz por esta "morte", que muitos mais tenham coragem como você.
    Admiro demais seu trabalho, sua dedicação e ímpar, seu amor se reflete em cada obra, siga, Deus é contigo!

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. Perfeito
    Sempre lúcido em suas colocações.

    ResponderExcluir
  8. Espetacular!! A maior prova de humildade que já vi e revela um grande espírito em evolução!! Obrigada !!! Obrigada !!!

    ResponderExcluir
  9. Sou sua testemunha na maioria do seu relato, sofri com você, vibrei, aplaudi e sorri inúmeras vezes. Continuamos acreditando e eu em particular, conheço poucos com o você e estou na Doutrina há 33 anos. Siga querido, você faz a gente refletir, se desacomodar e quando isso acontece, crescemos. Estamos vendo agora o resultado de tudo que foi planejado lá atrás e a conquista, mesmo árdua está sendo prazerosa. Estou com você...sempre!

    ResponderExcluir
  10. Meu amigo seu trabalho é excelente, e deixe os outros falarem palavras o vento leva mas suas atitudes ficam gravadas no Coração de cada criança e cada Jovem , boa recuperação e seja feliz como vc é não como os outros querem que vc seja ! Um dia a muito tempo atrás vc me ajudou muito te agradeço de coração, parabéns por vc ser quem vc é simples assim 👏👏👏

    ResponderExcluir
  11. Admiro demais seu trabalho,vc fala pra minha alma desde sempre...
    Seu trabalho com os jovens me motiva cada vez mais...Sua coragem e transparência são inspiradoras !

    ResponderExcluir
  12. Parabéns Adeilson, profunda e necessária reflexão. Obrigado por compartilhar.

    ResponderExcluir
  13. Entendo que o EGO é algo desafiador de se lidar, difícil entender quando é ele falando, mas ser diferente é o que nos faz especiais. A mesma fala se fosse de grande utilidade já teria mudado o mundo. Teu jeito é especial e importante, te compreendo perfeitamente, precisamos de gente assim, bem assim que nem tu. Te adoro e admiro. Um grande abraço!!

    ResponderExcluir
  14. Seja sempre vc!Transparente, verdadeiro,amoroso, desapegado das coisas transitórias e confiante no seu jeito especial de ser!

    ResponderExcluir
  15. "AVE CRISTO!" Q nosso MESTRE ti ampare e fortaleça nesta jornada, missão....Trabalho maravilhoso junto a juventude, Avante sempre, um grande abraço fraterno!

    ResponderExcluir
  16. Admiro a tua jornada, obrigada por fazer a diferença.

    ResponderExcluir
  17. Gosto de refletir sobre vaidade e ego, esse joguinho existe na sociedade e está impregnado em muitas pessoas. No meio acadêmico, então, isso brota de todos os lados. As pessoas sentem -se superiores e machucam seus "subordinados", para inflar o ego. Ainda bem que vc está nesse movimento de cura, pq quem o acompanha, sabe que é diferente, que é presente (no sentido de empatia). Parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  18. Obrigada por esta reflexão, acentua muito o meu pensamento,continue com este trabalho que muito nós acrescenta!

    ResponderExcluir
  19. Palavras profundas e reflexivas. Exemplo de aprendizado.

    ResponderExcluir
  20. Siga em frente! Jesus esta lhe acompanhando. Gratidão pelo seu trabalho junto a juventude. E agora com esse trabalho esclarecedor e de grande importância junto com todos que vc abraçou no Instagram. Obg

    ResponderExcluir
  21. Amo tudo que leio de você, Adeilson, tudo que ouço de você e como você compartilho do entendimento que os homoafetivos vivem uma evolução e como mãe temo por sua segurança, entendendo que a homofobia é um desajuste grave, existem várias vítimas, vejo o homofobico como doente e como tal, merece ser amorosamente tratado, no ENEFE último tive a constatação dessa minha hipótese, enquanto eu temia pela segurança do filho e da filha, ambos vivendo essa experiência homoafetiva, após relatar nossas histórias, um senhor, trabalhador da casa espirita, com o rosto entre as mãos, pedindo que ajudássemos a vencer esse preconceito, pois era filho de militar e foi "doutrinado" a abominar essa "conduta", confesso que minha ficha caiu naquele momento pra essa Dor, pois ela não é unilateral, nos comprometemos a buscar ajuda para ajuda-lo, mas veio o isolamento e ficou tudo confuso. Um abraço, querido irmão do coração, vc é muito bom em suas abordagens, sua fala mansa, tranquila me trouxe PAZ qdo o "segundo raio" caiu sobre mim, lembra? Hj estamos todos mais felizes, noras, genros, e quem sabe em breve, alguns netinhos, rsss.

    ResponderExcluir
  22. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir